Fruta, verdura ou legume?

Fruta, verdura ou legume?

Pêra, uva, maçã… salada mista! Sempre me perguntei por que ninguém nunca incluiu, nessa brincadeira, o tomate. Afinal, como a pêra, a uva e a maçã, ele é uma fruta, ou melhor, um fruto. Da mesma forma, poderíamos acrescentar à lista a abóbora, a azeitona, o chuchu, o milho…

Os botânicos (especialistas em vegetais) dividem as plantas em diferentes órgãos: raiz, caule, folhas, flores, frutos e sementes. Porém, popularmente, essas partes das plantas podem receber outros nomes, como fruta, legume, verdura, tempero ou grão. E vem daí a confusão!

Legumes são plantas consumidas, em geral, cozidas, e comemos órgãos diferentes desses vegetais, como frutos, caules ou raízes. Por exemplo: o chuchu, a abóbora, a vagem, o pepino, o pimentão, o quiabo e o tomate são popularmente chamados de legumes, mas, na botânica, eles são classificados como frutos.

Apesar de serem popularmente chamados de legumes, os tomates são cientificamente classificados como frutos, pois carregam as sementes da planta de onde brotam. (foto: Marcelo Guerra Santos)

É fruto ou não é?
Sempre que você ficar na dúvida sobre se um legume é ou não fruto, peça a ajuda de um adulto para abri-lo. Se tiver sementes, é um fruto. Afinal, em muitos grupos de plantas, é nesse órgão que as sementes ocorrem.

Para saber se um alimento é classificado como fruto ou não, uma maneira rápida é abri-lo e observar se há sementes. Veja o exemplo da abóbora. (foto: Marcelo Guerra Santos)

Por outro lado, alguns frutos podem não ter sementes, como é o caso da banana, do abacaxi e de algumas variedades de uva e laranja – chamados pelos cientistas de frutos partenocárpicos.

Ao contrário do que muitos pensam, aqueles pontinhos pretos que observamos dentro da banana não são sementes. Eles são óvulos que não foram fecundados. Veja, à direita, uma banana com sementes. (fotos: Marcelo Guerra Santos)

Caules e raízes
Também conhecidos popularmente como legumes, a batata-inglesa, o alho, a cebola e o inhame são classificados pelos botânicos como caules. Você já reparou que, às vezes, daquele alho ou cebola esquecidos no canto da cozinha começam a brotar folhinhas?

Na casca da batata, existem diversos pontinhos popularmente chamados de olhos-da-batata, denominados pela ciência como gemas – estruturas a partir das quais ocorrem brotações de caule e folhas. Nos caules, sempre há a presença de gemas, mesmo que não consigamos observá-las. Veja também a formação de folhas e raízes na cebola. (fotos: Marcelo Guerra Santos)

É porque eles possuem gemas, estruturas responsáveis pelo brotar das folhas e dos caules. Elas são fáceis de ver na casca da batata-inglesa, onde aparecem como pontinhos escuros.

O aipim, a cenoura e a beterraba, por sua vez, são exemplos de legumes classificados como raízes tuberosas. Neles, não há formação de brotos como ocorre no caule, pois a maioria das raízes comercializadas não possui gemas.

Uma exceção é a batata-doce. Apesar de ser uma raiz, nela podemos encontrar brotações semelhantes às que encontramos nos caules. Mas não confunda: em algumas cenouras e beterrabas vendidas nos mercados, podemos observar folhas que são originadas de um pequeno caule existente entre as folhas e a raiz, e não da própria cenoura ou beterraba. (foto: Acscosta / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

Verdes delícias

Já as verduras são plantas herbáceas consumidas, usualmente, sem cozimento. Nessas espécies, em geral comemos as folhas: alface, couve, agrião. Elas podem ter diferentes formas e cores, mas geralmente são achatadas e verdes – características importantes para a realização da fotossíntese.

Os temperos ou condimentos provêm de diferentes partes das plantas e, em sua maioria, são muito cheirosos. Dentre eles podemos destacar pimentas (frutos), salsas e cebolinhas (folhas), colorau (sementes), cravo-da-índia (flores), gengibre (caule) e canela (casca de árvore).

O arroz também é um fruto, de uma planta da família das gramíneas, assim como o trigo e o milho. (foto: Amartyabag / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

De grão em grão…
Por fim, o que conhecemos como grãos são os frutos de plantas da família das gramíneas, como o arroz, o trigo e o milho. Também chamamos de grãos as sementes de certas plantas da família das leguminosas, como é o caso do feijão, da ervilha, da soja e do amendoim.

E agora, você consegue classificar os diferentes alimentos que comeu nas últimas refeições?

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.